Sexta-feira, 18 de Julho de 2014

my dear future me...

Há uns dias li um artigo onde o tema principal era que, se pudesses escrever uma carta ao teu "futuro eu", o que escreverias?

E, ao mesmo tempo em que uma data de ideias {muito óbvias} me assaltavam, percebi que, na realidade, é difícil escrever tal carta, pois tudo muda e nós, inevitavelmente, também.

Quando tinha 20 anos eu já sabia tudo, agora, com quase 40, não sei nada de nada... e cada vez vou sabendo menos... {a minha "sabedoria" diminui à medida que a idade aumenta!}.

E pergunto-me: "Com 20 anos achavas que a tua vida ia ser o que agora é?"

E respondo-me {do alto da minha ignorância}: "Não sei..."

Não sei, porque não me lembro, ou lembro-me pouco, de quem eu era nessa altura. E porque agora, aos 40, sou o resultado das escolhas {ou da falta delas} que fiz aos 20.

Nem tudo é bom agora, tal como não era tudo bom há vinte anos atrás. E há coisas muito melhores agora e, outras, muito piores.

No meio de tudo isto, o que realmente me preocupa é a minha cabeça sentir-se com 16 anos...

 

publicado por daily às 17:07

link do post | comentar | favorito
|
Segunda-feira, 16 de Março de 2009

been there, done that!

Chego a casa.

Vou buscar um café.

Os cigarros.

Sento-me no sofá, de portátil ao colo e tento escrever qualquer coisa que faça sentido, mesmo que apenas para mim, com o objectivo geral de não me sentir tão miserável.

Já sabia que isto ia acontecer, mas uma coisa é perspectivar, outra é estar lá. E os tempos não se mostram mais meigos. Exerço assim uma pequena auto futurologia, que na realidade não passa de um "tomá lá, que é para não seres parva, estavas à espera do quê?".

Na bolinha de cristal vejo, novamente (é sempre novamente!!!), dias compridos, sem objectivo. Passeios em mim, exposições de outros, falta de vontade para o dia, noites sem fim à frente da televisão, filmes, livros, tudo misturado numa falta de interesse própria de quem tem tempo para tudo e não tem disponibilidade interior para nada.

Já estive lá, já sei como é. E é isso que me assusta. Conhecer os meandros da falta de tudo.

Bebo o café.

Acendo um cigarro.

Acendo outro.

Não vou viver isto agora. Tenho tempo. Tenho tempo para desesperar quando o desespero se instalar. Ou será que já o fez?

Baralho os pensamentos e volto a dar. Mas vai dar ao mesmo...

 

sinto-me: hummmmmmmmmmmmmmmmmm
publicado por daily às 17:49

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
|

.now

. my dear future me...

. been there, done that!

.other days

. Julho 2015

. Junho 2015

. Julho 2014

. Junho 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Novembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Julho 2013

. Junho 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Dezembro 2012

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Janeiro 2012

. Dezembro 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

.pegadas

Website counter

.às quantas ando...

love
cidades
queen
eat
travel